terça-feira, 11 de agosto de 2015

P581: ROTEIROS (III)

VISITA AO JOSÉ PIRES

O José Magalhães Pires era um elemento do 3.º pelotão.
Mora em Ermesinde, distrito do Porto.
O Pires participou apenas num almoço-convívio realizado no dia 25 de Abril 1992, na cidade de Oliveira do Bairro, no restaurante “A Estância”.
Segundo o Pires, não lhe tem sido possível estar presente nos convívios anuais da Companhia, visto que, como feirante, trabalha ao Sábado, dia da semana em que quase todos os convívios têm sido realizados. Contudo, confidenciou-me que após a sua aposentação – está na idade de passar o negócio para os filhos – prevê estar presente “nas grandes festas anuais da Companhia Dulombiana”.

O José Pires na sua venda de frutas, na Feira de Custóias

O José Pires e a sua filha mais nova

Lemos e Pires

As brancas são a 1 Euro! Então, camaradas, compram ou não?

      Aspecto geral da bancada de venda do Pires, que se encontra no lado direito. A sua filha prepara-se para o futuro negócio…


VISITA AO SERAFIM CARNEIRO

Serafim Martins Marques Carneiro, ex-soldado atirador, integrou a Companhia em rendição individual, em Agosto de 1971.
Fez 67 anos no dia 3 de Junho de 2015.
Está internado na Fundação Lar Evangélico Português, desde Fevereiro de 2012, sita na rua D. Afonso Henriques, n.º 2767, em Águas Santas, freguesia do concelho da Maia, sendo a vila mais populosa do distrito do Porto e da Região Norte de Portugal.

 
Entrada principal do Lar de idosos da respectiva instituição

Fundado em 7 de Julho de 1948, o Lar Evangélico Português é o fruto da visão, do amor, da fé e determinação do Pastor Joaquim Eduardo Machado e de sua esposa Isénia Machado, apoiados, na altura, pela 3.ª Igreja Baptista do Porto, que ele próprio fundou e pastoreou.

Motivados por um profundo desejo de ajudar as inúmeras crianças e idosos desamparados pela crise do pós-guerra e, apesar dos seus limitados rendimentos, este casal com os seus seis filhos, começou por receber pessoas na sua própria casa que depressa se tornou pequena demais. Sem quaisquer garantias financeiras, dependendo apenas da sua fé e da generosidade de amigos e organizações solidárias com o seu Sonho, em Julho de 1948 este casal deixou a casa onde morava e, fundou o Lar Evangélico Português – actualmente sedeado em Águas Santas, na Maia.

A fundação LEP tem duas vertentes distintas: O Lar de crianças e jovens e o Lar de idosos.

Então, numa tarde de Sábado, dirigi-me ao dito Lar e, tocando à campainha do portão principal, entrei.
Logo encontrei o Serafim, sentado no corredor principal, à espera de ninguém…
Apresentei-me. Já não se lembrava de mim, e da visita que lhe tinha feito há aproximadamente 3 anos, na casa da sua irmã Gracinda, a viver em Santa Marinha, Vila Nova de Gaia.
Ofereci-lhe um maço de cigarros. Imediatamente dirigiu-se para o exterior para “matar” o desejo de um cigarrito, enquanto eu, aproveitando o momento da sua ausência temporária, falei com o enfermeiro que o tem acompanhado na sua estadia no Lar. O seu quadro clínico e a sua doença estão relacionados com um certo tipo de esquizofrenia. Mantêm medicação diária.

 
Serafim Carneiro

Então, o Serafim Carneiro, foi-me confidenciando: 
“O meu pai, Humberto Marques Carneiro e a minha mãe, Laura Martins, exerciam a profissão de antiquários e tinham um estabelecimento na Praça do Almada, centro cívico da cidade da Póvoa de Varzim, logo localizada no Centro da cidade, contendo a escultura que homenageia o escritor Eça de Queiroz, que ali nasceu.
Deixei a casa dos meus pais aos 12 anos e fui para Paris. Fui considerado desertor e ao apresentar-me na Embaixada portuguesa em Paris, vim para Portugal quase sob prisão. Foi em Paris que comecei a ser conhecido por «Frits», talvez por ter uma estatura considerável e ter exercido a profissão de cozinheiro.
Chegado a Portugal, fui para o Quartel da Amadora, onde fiquei sob prisão. Como a minha família tinha uma certa posição e conhecimentos – importante para a altura – vim para Coimbra tirar a especialidade de enfermeiro, no Regimento de Serviços de Saúde e fui mobilizado para Angola, como 1.º cabo.
Iniciei a 1.ª Comissão no Ultramar, na cidade de Nova Lisboa, hoje denominada Huambo. Estive lá 2 meses e 17 dias. Num certo dia, apareceram por lá uns oficiais, nomeadamente um Senhor Capitão (Fernandes), e um senhor Tenente (Almeida), que começaram a mandar umas «bocas» e então, mandei-os para o hospital, o primeiro com um braço partido e o segundo sem uns dentes…
Nessa altura era ajudante do Dr. Vítor Veloso, médico.
Nota do autor: segundo me disse o Serafim Carneiro, este médico ainda exerce a profissão no Hospital de Santo António, no Porto, e tem consultório na Boavista. Realmente existe a Clínica Dr. Vítor Veloso especializada em Oncologia e Cirurgia Geral, no Porto. Contudo, o Serafim deve estar confundido já que o Dr. Veloso, como médico miliciano, provavelmente, só terá feito uma comissão de serviço e esta, na Guiné.
 Então estive preso durante algumas semanas.
 Fui castigado com uma 2.ª Comissão e enviado para a Guiné, como soldado-atirador. Fui integrado num pelotão denominado "Os Cobras" pertencente à Companhia 127, integrada no batalhão 1322 ou 1324 (Referências dadas pelo Serafim, que podem não ser as correctas. O Serafim tem no seu braço esquerdo uma tatuagem com a inscrição: Guiné 1970/72 e o desenho de uma cobra).
Estive em Bissau pouco tempo. Depois fui destacado para Galomaro, Cancolim, Saltinho e Dulombi.
Lembro-me de alguns nomes desse tempo de tropa: alferes Costa, alferes Pereira, Major Mendes, Major Teles, Capitão Fernandes, soldado Franklin de Vila do Conde, soldado Pandaio, entre outros.”

                  O nosso “gigante” Serafim. 
Não admira que tenha mandado para o hospital dois oficiais….

A foto da praxe: o “gigante” Serafim e o Lemos

Segundo me confidenciou o Serafim, o seu internamento iniciou-se quando perfez 57 anos de idade, e foi preparado pela sua irmã Gracinda. A sua 1.ª instituição de internamento foi fechada pela Segurança Social, devido às más condições que oferecia aos utentes. Em Fevereiro de 2012 instalou-se no Lar Evangélico Português na secção dos idosos.
O Serafim tem três filhos da 1.ª mulher e uma filha da 2.ª mulher. Nenhum dos filhos o vem visitar, segundo me disse. Apenas a sua irmã Gracinda o visita regularmente e o leva a passar uns fins-de-semana em Vila Nova de Gaia.
O Lar de idosos oferece actividades aos internados que, no momento, são 49. O Serafim participa em algumas dessas actividades, nomeadamente:
- Ginástica
- Jogos de cartas, dominó, bingo, etc.
- Trabalhos manuais
- Passeios regulares a localidades
- Praia (actividade realizada da parte da manhã).

Terminada a visita, o Serafim ficou ao portão da Instituição a ver-me partir, depois de termos ido tomar um cafezinho à confeitaria da sua preferência, ficando a promessa de uma próxima visita.
Grande abraço, Serafim.


(Obs.: O Serafim nunca compareceu aos convívios da Companhia 2700, contudo, não está impossibilitado de participar. Apenas necessita que alguém se responsabilize perante a Instituição, de o ir buscar a Águas Santas e o trazer de novo para o Lar. É calmo, amigo, afável e gosta de conviver).

                                                       
VISITA AO TEODORO DA CRUZ ABREU

O Teodoro Abreu era um elemento do 2.º pelotão, tendo sido depois destacado para a equipa de reordenamento.
Mora na cidade de Vila Nova de Gaia, na freguesia de Mafamude.
O Teodoro participou até à data, em quatro convívios da Companhia. O primeiro Convívio em que participou foi em Abril de 1997, no Quartel de Abrantes. Depois esteve presente no Convívio realizado em 23/04/2005, na Quinta dos Choupos, na cidade de Gondomar. Também esteve presente no Convívio realizado em Braga, na Quinta das Rosas no ano de 2007. Por fim, participou no 1.º Convívio realizado em Fátima, na Casa Beato Nunes, no dia 27/04/2008. 

Teodoro Abreu

O Teodoro continua a gozar a sua reforma.
Á mesa de uma esplanada do Corte Inglês, em Mafamude, conversamos sobre a vida e relembramos os tempos de Dulombi, revendo algumas fotos que levei, enquanto saboreávamos um cafezinho.

Mensagem do Teodoro para a Companhia 2700:
Cumprimentos para todos os amigos da 2700, em particular para o ex-alferes Barata, o nosso Capitão Carlos Gomes, agora Coronel, e os camaradas de reordenamento com quem trabalhei, nomeadamente, Armindo Ramos, António Francisco Almeida, e o ex-furriel Maurício.
Não tenho tido oportunidade de estar presente nos últimos Encontros/Convívios, contudo haverão outras oportunidades”.

A foto da praxe: Teodoro e Lemos



Outros afazeres me esperavam. Despedimo-nos com um abraço e a promessa de nos encontrarmos mais vezes, já que moramos relativamente perto.

                                                                                               Ricardo Lemos

sábado, 1 de agosto de 2015

P580: EM AGOSTO FAZEM ANOS

 02 - Bernardo Franco









04 - Arlindo Gonçalves


09 - Tancredo Pedroso
 









15 - Belmiro Moreira

24 - António Reis Guerreiro





26 - António Francisco de Almeida
 









27 - António Madureira










28 - José Silva Guerra









31 - José Silva Santos

segunda-feira, 20 de julho de 2015

P579: ROTEIROS (II)



VISITA AO ELIAS RODRIGUES
  
O Elias dos Anjos Rodrigues era um elemento do 3.º pelotão.
Mora em Chaves, na freguesia de Vale de Anta.

Manhã cedo partimos de Matosinhos em direcção a Chaves.
Percorremos cerca de 160 km até à casa do Elias, onde nos esperava a D. Júlia, esposa do Elias.

Residência do Elias

Elias dos Anjos Rodrigues

O Elias encontra-se bastante doente, sofrendo de uma doença denominada atrofia cerebral, em que o cérebro e/ou cerebelo sofre uma redução do seu volume devido à morte parcial de suas células, os neurónios, afectando as capacidades para realizar as actividades diárias como: dificuldade em caminhar ou movimentar-se, falar, ler, memorizar…
Existe uma perda da função neurológica. Os sintomas de atrofia cerebral dependem da causa e da localização de morte celular.
No caso do Elias, perdeu a capacidade de movimentar-se e não pode estar muito tempo sentado.
Convivi com o Elias no delicioso almoço preparado pela D. Júlia, incansável companheira do Elias.
Já me foi muito difícil entender o Elias, apesar do seu esforço em tentar conversar.
A D. Júlia informou-me que o Elias apenas participou num Encontro da Companhia 2700, em Vila Real, no Quartel local. A data desse encontro foi no dia 25 de Abril do ano de 1998. Jamais o Elias poderá ir a mais algum encontro…

                                         Elias e Lemos


Visita do Parada e do Santos Silva

O nosso camarada Manuel Rodrigues Parada, de Vilar de Perdizes, elemento pertencente ao 1.º Pelotão, também estava convidado para o almoço-convívio.
O Parada é um dos elementos da Companhia que nunca participou nos convívios anuais da mesma, por razões várias.

Manuel Rodrigues Parada


                                                    Parada e Elias
 
E o Santos Silva, o nosso amigo “Chedre”, de Vinhais, elemento pertencente ao 1.º pelotão, também por lá apareceu de manhã, numa visita relâmpago:

Santos Silva e Parada


Visita ao Jeremias

Depois da 1.ª visita feita ao Elias – antes da hora do almoço – seguimos rumo à freguesia de Soutelo, que faz fronteira com a freguesia de Vale de Anta, para visitarmos o Jeremias Granjo de Oliveira, elemento pertencente ao 2.º pelotão.
Fomos recebidos de braços abertos, tanto pelo Jeremias como pela sua esposa, D. Helena.
Á mesa, e para abrir o apetite para o almoço que nos esperava na casa do Elias, o Jeremias apresentou um prato do famoso presunto de Soutelo, caseiro, delícia difícil de encontrar por esse Portugal fora, mais umas chouriças caseiras tudo acompanhado pelo saboroso pão da terra e um vinho de excelente qualidade.
Em plena cavaqueira, o Jeremias lá se foi lembrando de alguns colegas do seu pelotão, da sua estadia em Galomaro inserido numa secção do seu pelotão e também foi dizendo que o seu alferes era “um bom rapaz”.
O Jeremias é um dos elementos que nunca participou nos convívios anuais da nossa Companhia.

Jeremias

Lemos e Jeremias, na sua casa de campo

  
E a hora do almoço estava a aproximar-se. Seguiram-se as despedidas até uma próxima oportunidade.
O resto da tarde foi passado na companhia do Elias que, de quando em vez, lhe vinha um sorriso ao rosto, sinal que estava agradado com os amigos que o foram visitar.
Os nossos agradecimentos à D. Júlia pelo carinho e simpatia com que fomos agraciados.
Bem hajam.


                                                                                               Ricardo Lemos

quarta-feira, 8 de julho de 2015

P578: MAIS UM EXCELENTE TRABALHO DO RICARDO LEMOS


Curiosidades estatísticas da Companhia 

N.º de combatentes da lista - 154
N.º de combatentes falecidos - 30
N.º de combatentes não encontrados - 2


Idades dos combatentes 
 
Combatentes com 66 anos de idade - 5
Combatentes com 67 anos de idade - 130
Combatentes com 68 anos de idade - 14
Combatentes com 70 anos de idade - 2
Combatentes com 73 anos de idade - 1
Combatentes com 80 anos de idade - 1
Combatentes com 86 anos de idade - 1

 Combatentes por Distritos

Porto - 32
Braga - 20
Lisboa - 19
Aveiro - 8
Faro - 8
Santarém - 8
Vila Real - 8
Guarda - 5
Setúbal - 5
Bragança - 4
Évora - 4
Viana do Castelo - 4
Coimbra - 3
Reg. Aut. dos Açores - 3
Leiria - 2
Viseu - 2
Castelo Branco - 1
Portalegre - 1


EMIGRANTES

França - 12
Alemanha - 2
Estados Unidos - 2
Bélgica - 1



                                                                             
Os nossos Encontros


Ord.
Data
Local Concentração
Cidade
Restaurante
1
20-07-1991
Campo da Feira
Barcelos
Restaurante "Chuva"
2
25-04-1992
E.N.nº 1 frente Revigrés
Oliveira do Bairro
Restaurante "a Estância"
3
01-05-1993
E.N.nº 1 frente Revigrés
Oliveira do Bairro
Restaurante "a Estância"
4
24-04-1994
E.N.nº 1 frente Revigrés
Oliveira do Bairro
Casa do Povo de Avelãs de Caminho
5
30-04-1995
E.N.nº 1 frente Revigrés
Oliveira do Bairro
Restaurante "Ipiranga"
6
09-06-1996
E.N.nº 1 frente Revigrés
Oliveira do Bairro
Restaurante "Ipiranga"
7
25-04-1997
Quartel de Abrantes
Abrantes
Cantina Quartel de Abrantes
8
25-04-1998
Quartel de Vila Real
Vila Real
Cantina Quartel de Vila Real
9
01-05-1999
E.N. nº 1 Malaposta Carqueijo
Mealhada
Restaurante "o Marginal"
10
30-04-2000
Campo da Feira
Barcelos
Restaurante "Ávila"
11
29-04-2001
Igreja de Cambra
Cambra/Vouzela
Restaurante "Palmeira"
12
27-04-2002
Casa Beato Nunes
Fátima
Casa Beato Nunes
13
25-04-2003
Rest. "Bicho Patão"
Viseu
Restaurante "Bicho Patão"

2004

Não se realizou

14
23-04-2005
Quinta dos Choupos
Gondomar
Quinta dos Choupos
15
29-04-2006
Quinta da Calçada
Tomar
Restaurante "Convívio"
16
10-06-2007
Place Club de Priscos
Braga
Quinta das Rosas
17
26-04-2008
Basílica
Fátima
Restaurante "D. Nuno"
18
24-05-2009
Restaurante "Portagem"
Mealhada
Restaurante "Portagem"
19
24-04-2010
Restaurante "Flor do Bolhão"
Fiães
Restaurante "Flor do Bolhão"
20
30-04-2011
Alferrarede
Abrantes
Quinta do Lago
21
28-04-2012
Fátima
Fátima/Boleiros
Restaurante D. Nuno
22
27-04-2013
Folgosinho
Folgosinho/Gouveia
Restaurante Albertino
23
26-04-2014
Barcelinhos
Barcelos
Quinta de Santa Comba
24
02-05-2015
Fátima
Fátima/Boleiros
Restaurante D. Nuno


Os nossos Encontros por Distritos:

Santarém - 7 encontros
Aveiro - 7 encontros
Braga - 4 encontros
Porto - 2 encontros
Viseu - 2 encontros
Guarda - 1 encontro
Vila Real - 1 encontro


Os aniversários dos nossos Combatentes (154)

Janeiro - 11
Fevereiro - 12
Março - 14
Abril - 17
Maio - 16
Junho - 15
Julho - 7
Agosto - 9
Setembro - 14
Outubro - 15
Novembro - 14
Dezembro - 10

Camaradas falecidos (30)

Por doença - 19
Em combate (6) ou doença (1), na Guiné - 7
Em acidentes de viação - 2
Em acidente de trabalho - 1
Por suicídio - 1